Compartilhar share

Aspectos Históricos de Lages

Publicado em 18/11/2009 às 00:00 - Atualizado em 19/09/2014 às 10:07

 

     DATA do início do século XVIII a chegada dos primeiros europeus que se fixaram no município. O povoamento dos "Campos de Lajens" decorreu da necessidade de abrir caminhos para atingir as Campinas do Rio Grande do Sul, ricas em gado, o que despertava nos paulistas e mineiros a ambição de estabelecer intenso comércio com os estancieiros gaúchos.
Os documentos primitivos mencionam a paragem chamada "Lajens", um pouso de tropeiros que viajavam para São Paulo ou Sorocaba (conhecida desde 1661), levando mulas, cavalos e bovinos. Correia Pinto, fundador do povoado, era tropeiro, e conduzia tropas de bois de Lajes para São Paulo. Os tropeiros primitivos, mesmo os residentes no povoado, não eram lageanos, mas na sua maioria, portugueses e açorianos. Somente mais tarde foi que tropeiros, já nascidos em Lajes, exerceram esta tradicional profissão.
Lages foi fundada em 22 de novembro de 1766. Em 1820, a vila é desanexada da província de São Paulo para fazer parte de Santa Catarina. Em 25 de maio de 1860 é elevada à categoria de cidade. Em 1960, ficou estabelecida o topônimo de Lages com "G". (Aliás, impróprio segundo o nosso léxico).
Economicamente Lages ficou conhecida inicialmente pelas suas tradições na pecuária.
Seus primeiros ciclos econômicos, no princípio do século, foram os do couro, da carne e da erva-mate. Hoje ainda o município tem o maior rebanho bovino do Estado, com cerca de 76.000 cabeças.
O ciclo econômico que se seguiu foi o da madeira, cujo auge ocorreu entre 1950 e 1960.

Lages
Área total: 2.651,4 Km2
Urbana: 222,4 Km2
Rural: 2.429 Km2

Condições Climáticas
Clima: Subtropical
Temperatura
Média: 14,3º C
Máxima: 35º C
Mínima: -7,4º C
Umidade relativa do ar: Média de 79,3%
Índice pluviométrico: Anual de 120,00 mm
Meses de maior calor: Dezembro, Janeiro, Fevereiro e Março
Meses mais chuvosos: Maio, Junho, Julho e Agosto

Condições Naturais
Geologia e Geomorfologia:
Geologicamente, o Município é formado por rochas sedimentares que foram depositadas na era Perminiana. Uma pequena região é coberta por rochas ígneas.

Solos
Os solos são em sua grande maioria, derivados de rochas ácidas e básicas. Dada as características dos materiais de origem e de clima, os solos da região são, ácidos com teor de alumínio trocável de médio a alto, baixa maturação de bases, baixo teor de matéria orgânica.
Quanto às classes de solo, predominam os cambissolos e as terras Bruna Estruturadas, ocorrendo algumas restrições agrícolas devido a pedregosidade do solo.
Uso atual dos solos segundo o tipo de exploração.

Tipo de exploração Área (ha) %
Culturas temporárias 6.635 1,44
Culturas permanentes 300 0,064
Pastagens nativas 337.792 72,93
Pastagens plantadas 5.000 1,07
Mata natural 77.486 16,73
Mata plantada (Reflorestamento) 35.957 7,77
Total 463.170 100,00


Geologia
Compreende dois tipos de formação rochosa, as rochas mais antigas compreendem as formações com uma mistura de rochas sedimentares (arenitos, siltitos e argelitos). A maior parte do município apresenta acentuada uniformidade geológica, sendo coberta pelos derrames de lavas de origem vulcânicas na formação da serra geral.
O relevo ondulado e forte ondulado associado a pedregosidade reduz drasticamente a área aproveitável para a agricultura mecanizada intensiva.

Recursos hídricos
O município conta com uma rede de pequenos rios bem distribuídos. Rios que cortam o município:
Caveiras, rio Lava Tudo, Pelotinhas, Pelotas e Canoas, de águas pouco poluídas, com exceção das águas do rio Caveiras a jusante da cidade de Lages, assim como os córregos que cortam a cidade.
Rios urbanos: Passo Fundo, Carahá, Caveiras e Ponte Grande.

Vegetação
É formada por mata nativa de araucária, associada a algumas espécies como canela, bracatinga e outras . A maior parte da vegetação é formada por pastagem nativa, associada a espécies arbóreas como vassouras, carqueja dentre outras.
A mata de araucária ocupa um espaço superior, sendo as lauráceas as espécies mais importantes no segundo extrato arbóreo.
A mata araucária é a vegetação predominante no Planalto Serrano. A floresta araucária é freqüentemente entrecortada por extensas áreas de pastagens nativas. É composta também de campos limpos (são compostos de espécies herbáceas das famílias Graminese, Cyperaceae, Compositae, Leguminosae e Verbenaceae) campos sujos (neles ocorrem arbustos com muita freqüência, especialmente Baccharis gaudichandiana, B. uncinela, Pteridium agilinum e Eryngium) e campos de inundação (ocorrem nas margens dos rios, onde predominam gramíneas cespitosas do tipo Hypogynium virgatun, Andropogon lateralis, a leucostachyus e a macrothryx).

Relevo
O seu relevo é constituído de um planalto de superfícies planas, onduladas e montanhosas (Serra Geral, Escarpa do Trapp) fortemente dissecadas e denudação periférica de formação basáltica e domo dissecado.

Paisagem Rural e Urbana
O município, apresenta como ponto forte em belezas naturais, os campos.
Geograficamente, Lages é privilegiada pela natureza e pelo clima. As coxilhas despontam um potencial turístico, fundamental ao turismo no meio rural.
Em alguns locais encontram-se formações rochosas areníticas de formas exóticas e curiosas que contribuem para o embelezamento da paisagem.
O ar puro e agradável provoca bem estar e restaura o stress urbano.
Um fator relevante é que Lages está localizada num ponto estratégico, identificado como corredor turístico ( Br 116/Br 282).

População
População: 161.583 Habitantes
Taxa de Crescimento Populacional: 1,38

ASPECTOS SOCIAIS
Lages possui uma infra-estrutura moderna e povo hospitaleiro, o que rendeu à cidade o título de capital nacional do turismo rural. As fazendas com taipas centenárias atraem visitantes que usufruem o prazer da lida campeira. Em Lages há um sentimento muito forte de amor à própria terra. No contato com a população se descobre o carinho e as virtudes do serrano, qualidades que se manifestam em suas festas, no artesanato, no folclore regionalista com suas danças, na música e na gastronomia, que a torna conhecida em todo país.

Datas Históricas
22/11/1776 Início da Povoação
22/05/1771 Instalação da Vila
09/09/1820 Passou a pertencer a Capitania de Santa Catarina
25/05/1860 Condição de Cidade

Datas Comemorativas
15 de agosto Padroeira do município - feriado municipal
22 de novembro Aniversário do município


Galeria de Arquivos